Fica-2018-1

Fica 2018 celebra 20 anos com programação de 5 a 10 de junho na cidade de Goiás

De cinco a 10 de junho próximo o governo de Goiás realiza na Cidade de Goiás mais uma edição do Festival Internacional de Cinema Ambiental (Fica) que celebra em 2018 duas décadas e a consolidação no calendário do Estado, como um importante evento de divulgação de Goiás em âmbito nacional e internacional. O Fica tem investimentos exclusivos do Governo do estado por meio da   Secretaria de Estado da Educação, Cultura e Esporte (Seduce). Esse ano, o orçamento é de de R$ 3 milhões.

Durante esses 20 anos realizadores de diversas partes do mundo passaram pelos becos da antiga capital ou enviaram seus trabalhos para o Festival. O evento firmou-se como o maior festival de cinema ambiental da América Latina e está entre os cinco maiores do mundo.

Foram cerca de um milhão de pessoas, entre cineastas, realizadores, produtores, estudantes, jornalistas e o público em geral, que abraçou o festival desde o início.

Como resultado se criou uma cultura de cinema em Goiás, com o surgimento de diversos cursos superiores na área e cineastas de grande talento que foram formados pelo festival. E o setor de audiovisual passou a representar uma importante atividade econômica, gerando emprego e renda .

Nos últimos três anos, o Fica fortaleceu suas origens ao evidenciar o cinema e os debates sobre meio ambiente em sua programação sem deixar de oferecer música e arte para os participantes.

Outra novidade adotada, por iniciativa da ex-secretária Raquel Teixeira, foi a projeção no formato Digital Cinema Package (DCP), que começou a ser implantada no Fica 2017, garantindo mais qualidade à imagem e ao som dos filmes exibidos durante a Mostra Competitiva.

O Fica retornou ao seu conceito original, com uma robusta programação e grande prestígio na comunidade ambiental e cinematográfica. A ousadia de realizar de forma ininterrupta o Fica durante duas décadas é marca do ex-governador Marconi Perillo que criou o Festival em seu primeiro governo. É também a prova de que seus governos conferiram ao setor do audiovisual um lugar privilegiado na política cultural.

A Força de um Legado

Em 2018, o festival traz o tema Fica 20 anos, a Força de um Legado, que simbolicamente trata da memória e celebra a trajetória do Festival. A tela de Marcelo Solá,“1999”,  foi feita especialmente para ilustrar as duas décadas. É a primeira vez que o artista plástico assina uma ilustração para o Fica. Ele se disse honrado com o convite. “Pensei em muita coisa legal desde que aceitei assinar o cartaz do festival. Foi uma honra, especialmente porque a 20ª edição é uma data memorável. Escolhi batizar o cartaz de 1999 em alusão ao ano de realização do primeiro Fica”, disse.

 

Solá explicou que extraiu da memória afetiva a inspiração para criar o desenho. “Morei dois anos na Vila Boa, e coincidentemente estava lá no primeiro festival. Então vi de perto toda aquela efervescência, gente de vários países enchendo a cidade para discutir cinema e meio ambiente. É um prazer colocar no papel toda essa experiência que vivi. É uma versão minha sobre Goiás”, lembrou o artista.

 

Informações e privacidade no Twitter Ads

O desenho original foi feito sobre papel e tem 1.50m x 2m. A partir dele serão confeccionados os cartazes e toda a comunicação visual do 20º Fica, que tem como tema “O legado do Fica”.

 

Execução via Oscip

O Fica é executado por meio de uma parceria com uma organização da sociedade civil, que é escolhida por meio de licitação. As concorrentes apresentam um projeto para executar o festival, e a escolha é feita pela qualidade do projeto e pela qualificação profissional da equipe. Após a realização do Fica, a entidade tem de apresentar uma extensa prestação de contas que deve ser aprovada pela Seduce, verificando a correta aplicação da verba na execução do Festival e no pagamento de todos os profissionais envolvidos.

 

Premiação

 

A Mostra Competitiva do Fica 2018 vai distribuir R$ 280 mil em prêmios, nas seguintes categorias:

Grande prêmio Cora Coralina: troféu e R$ 100 mil para o melhor filme;

Troféu Carmo Bernardes e R$ 50 mil para o melhor longa-metragem;

Troféu Acari Passos e R$ 35 mil para o melhor média ou curta-metragem;

Troféu João Bênnio e R$ 50 mil para o melhor filme goiano;

Troféu José Petrillo e R$ 35 mil para o segundo melhor filme goiano;

Troféu Luiz Gonzaga e R$ 10 mil para o melhor filme escolhido por júri popular.

Ainda, o júri oficial do Fica 2018 poderá conceder até duas menções honrosas a filmes de sua escolha, que receberão um troféu e certificado do Festival. Os jornalistas presentes ao Festival, em votação secreta, concederão o Troféu Jesco Von Putkammer para o melhor filme escolhido pela imprensa especializada.

Nessa edição, o Fica vai contar com um júri jovem formado por 3 alunos de cursos de graduação de cinema ou áreas afins, que vai conceder o Troféu do Júri Jovem. Ainda, o festival concede o Troféu Áudio Descrição para a melhor produção desse gênero.

 

Anúncio dos filmes selecionados 2018

Esse ano, a Mostra Competitiva do Fica recebeu a inscrição de 355 filmes, sendo 199 filmes estrangeiros e 156 filmes brasileiros. Entre os filmes brasileiros, foram inscritas 47 produções goianas.

Foram selecionadas as 22 melhores produções (06 longas-metragens, 01 média-metragem e 14 curtas-metragens), provenientes de 09 países: Brasil (10 filmes) Argentina (1 filme) Irã (1 filme) México (1 filme) Espanha (2 filmes) Portugal (3 filmes) Itália (2 filmes) França/Suiça (1 filme) Uruguai (1 filme).

Da seleção brasileira de filmes ambientais, participam 05 Estados: Goiás (4 filmes) Rio de Janeiro (2 filmes) Pernambuco (2 filmes) Paraná (1 filme) Ceará/Rio de Janeiro (1 filme).

 

Segue a lista de filmes selecionados:

Curta-Metragem: 14 filmes

“Corp.” (Argentina), animação

“Pet man”, IRÃ, animação

“Octubre otra vez”, México, 6m, ficção

“Plantae”, BRA (RJ), 11m, animação

“Sub Terrae”, ESP, 07m, experimental

“O Homem da Água Doce”, ESP, 18m, ficção

“Frequências”, BRA (PE), 19m, documentário

“Nanã”, BRA (PE), 25m, ficção

“Penúmbria”, POR, 09m, ficção

“A Viagem de Ícaro”, BRA (GO), 18m, documentário

“Água Mole”, POR, 10m, animação

“A Câmera de João”, BRA (GO), 21m, ficção

“O Malabarista”, BRA (GO), 10m, animação

“Diriti de Bdé Buré”, BRA (GO), 18m, documentário

 

CATEGORIA MÉDIA-METRAGEM = 01 FILME

“Uma moça yanomami”, Brasil (RJ), 31m, documentário

 

CATEGORIA LONGA-METRAGEM = 06 FILMES

“Aracati”, BRA (RJ/CE), 62m, documentário

“Nueva Venecia”, URU, 80m, documentário

“Construindo Pontes”, BRA (PR), 73m, documentário

“Sensibile”, ITA, 84m, documentário

“Coros do Anoitecer”, ITA, 75m, documentário

“Half Life in Fukushima”, SUI/FRA, 61 min, documentário

“Dia 32”, POR, 84m, documentário/ficção

 

Programação 2018

O Governo de Goiás está preparando uma programação robusta para a 20ª edição do Fica, com grandes nomes do cinema e do meio ambiente.

Além da Mostra Competitiva, a programação do Fica traz a Mostra Grandes Sucessos e Vencedores do Fica 20 anos; Mostra ABD Cine Goiás (que vai distribuir R$ 120 mil em prêmios), Fica Animado (para o público infantil); Mostra de Cinema Fica Atitude e Mostra de Cinema Povos do Cerrado.

Nos tradicionais Fórum Ambiental e Fórum de Cinema, o evento debate os novos rumos do cinema e do audiovisual no Brasil, a relação entre cinema analógico e digital, direção, mulheres no cinema e muito mais.

Na parte de formação, o público poderá fazer gratuitamente oficinas sobre câmera e luz, direção de fotografia para cinema digital e um minio curso sobre roteiros para as novas plataformas digitais.

Ainda, o Fica traz os Laboratórios ABD, Fica Film Market e Videolibras e Áudio descrição.

 

Histórico

Idealizado por Luiz Felipe Gabriel, Jaime Sautchuk, Adnair França e Luís Gonzaga, o Fica despontou em 1999 como marco de um novo momento da cultura em Goiás, sob a coordenação geral do cineasta João Batista de Andrade.

A pouco mais de dois meses da data de sua realização (2 a 6 de junho de 1999), João Batista produziu o regulamento, estabeleceu a premiação – cada prêmio homenageia uma personalidade da cultura goiana – e criou o formato final do festival, entre outras providências.

A ideia da realização do festival foi apresentada ao então presidente da Agepel, Nasr Chaul, que levou ao governador Marconi Perillo, que abraçou o projeto e garantiu recursos para a sua execução.

A repercussão do Fica foi de fundamental importância para a conquista do título de Patrimônio Histórico Cultural da Humanidade, concedido pela Unesco, à cidade de Goiás.

Ao longo desses 20 anos, o Fica vem cumprindo seus objetivos fundamentais: valorizar o cinema; discutir amplamente a questão ambiental; movimentar a cultura com ações de valorização do artista e sua criação, além de promover a reflexão e sensibilização sobre os desafios do ser humano diante da situação ambiental do planeta. Ainda, o evento gera empregos e fomenta o turismo local, sendo uma vitrine de Goiás para o mundo.

 

 

DADOS RESUMIDOS DE TODAS AS  EDIÇÕES DO FICA

 

1º Fica (1999) –  37 obras de 17 países / Homenageado Rui Faquini

 

2º Fica (2000) – 224 filmes oriundos de 37 países / Homenageado Siron Franco

 

3º Fica (2001) – 42 países inscritos, representados por 358 filmes / Homenageado Antônio Poteiro

 

4º Fica (2002) –  429 filmes, com a participação de 63 países inscritos / Homenageada Ana Maria Pacheco

 

5º Fica (2003) – 299 obras inscritas de 34 países/ orçada em 1,5 milhão de reais / Homenageado D. J. Oliveira

 

6º Fica (2004) –  222 obras de 48 países/ O quadro que ilustrou o 6º Fica foi Na Janela em Vila Boa, de autoria do artista plástico Roos de Oliveira

 

7º Fica (2005) – 837 inscrições de 85 países /  orçamento de R$ 2,5 milhão / A sétima edição do festival teve como cartaz o óleo sobre tela Chafariz de Cauda, do artista plástico Amaury Menezes, e homenageou a cantora Ely Camargo e o jornalista Washington Novaes.

8º Fica (2006)  – Público de 200 mil pessoas / Homenageado Elder Rocha Lima

9º Fica (2007) – 522 filmes inscritos, de 62 países, sendo 31 selecionados / Público estimado de 200 mil pessoas / Artista homenageado Cleber Gouveia

10º Fica (2008) – inscritos 446 filmes, desse total, 238 são brasileiros e 208, internacionais, oriundos de 42 países, sendo 22 obras selecionadas para a mostra competitiva / Homenageada Goiandira do Couto

11º Fica (2009) – Público de 150 mil pessoas /556 filmes inscritos, oriundos de 55 países / Homenageado Gustav Ritter

12º Fica (2010) – 548 filmes, sendo 201 nacionais e 345 estrangeiros, de 67 países / Homenageado Octo Marques

13º Fica (2011) -/ Orçamento R$ 4 milhões /414 obras inscritas, representando 47 países/ Homenageado Veiga Valle

14º Fica (2012) – Público de mais de 20 mil pessoas / Orçamento R$ 4 milhões / artista homenageado Paulo Bertran

15º Fica (2013) –  Público de 180 mil pessoas / Personalidade homenageada Cora Coralina / 448 obras inscritas, e Selecionadas 25 produções / Orçamento R$ 4 milhões.

16º Fica (2014) – R$ 4 milhões e 200 mil / Artista homenageado José Mendonça Telles

17º Fica (2015) –  Público de 40 mil pessoas / Orçamento de R$ 2,5 milhões / Homenageado Frei Nazareno Confaloni

18º Fica (2016) – 356 filmes inscritos. Foram selecionadas 22 produções: 12 estrangeiros e dez nacionais — quatro goianas / Homenageado artista plástico Rodrigo Godá / Orçamento: R$ 3.068.624 (R$ 2,7 milhões + aditivo de R$ 368.624)

19º Fica (2017) – 363 obras inscritas, sendo 25 selecionadas para a mostra competitiva / Orçamento: R$ 3 milhões / Homenageado Cidade de Goiás “15 Anos de Patrimônio Mundial”

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *