WhatsApp-Image-2018-10-28-at-21.27.27

Após vitória de Bolsonaro, comentário que sugere criação de grupo de extermínio de gays viraliza nas redes sociais

No post, ela deixa o telefone para contato e diz que “gay bom é gay morto”. A dona do perfil afirma que a conta foi clonada. O caso foi registrado na PC

Um comentário de ódio, onde uma internauta defendeu o extermínio de gays em Goiânia, durante uma transmissão de uma live no Facebook do Jornal O Popular, na noite deste domingo (28), viralizou em grupos de aplicativos. Na publicação, a dona do perfil deixa o telefone para contato e sugere a criação de um grupo de extermínio.

Na foto de perfil, a internauta usa uma imagem de apoio ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). Na publicação ela defendia a união de forças de pessoas que defende a família tradicional e dizia que “gay bom é gay morto”.

Em entrevista ao MAIS GOIÁS, a internauta disse que a página dela foi clonada, e que os hackers tiveram acesso ao número de telefone dela porque o mesmo estava nas informações de contato. Ela disse que repudia a violência e “que tem vários amigos homossexuais”.

“De fato meu Facebook estava com a imagem do Bolsonaro, mas em nenhum momento em militei utilizando palavras de violência”, explica a internauta.

A mulher relata que após a viralização do comentário, ela recebeu várias mensagens de pessoas que, inclusive, criaram dois grupos, um a favor da família tradicional e outro de um grupo de extermínio de gays, mas que jamais concordou com tal atitude. Ela registrou um ocorrência na Polícia Civil (PC) e vai procurar uma delegacia especializada em crimes cibernéticos nesta segunda-feira (29).

Mais Goiás entrou em contato com a delegada titular da Delegacia de Crimes Cibernéticos, Sabrina Leles, mas ela estava em reunião e não poderia falar com imprensa. Uma nova ligação foi agendada para falar sobre o caso.

 

Fonte: Kayque Juliano Do Mais Goiás, Goiânia | Postado em: 29/10/2018 às 10:14:44

 

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *