2017-08-18-1

Desembargador impede advogada de fazer sustentação oral por causa da roupa que ela usava

Eugênio Cesário disse que deixaria a audiência se a advogada prosseguisse sua fala usando uma camiseta. Na verdade, a mulher estava de vestido

Uma advogada foi impedida de fazer sustentação oral em uma audiência do Tribunal Regional do Trabalho de Goiás (TRT- 18ª Região) por causa da roupa que estava usando. Um vídeo gravado por um dos advogados presentes e que circula nas redes sociais mostra o desembargador Eugênio Cesário falando que a advogada não estava cumprindo o decoro forense.

“Você precisa estar à altura na forma e na aparência para o exercício desta atividade. […] Mas a senhora vem fazer sustentação oral de camiseta?”, questionou o desembargador, que em seguida ameaçou deixar a audiência. Outra mulher que estava no local emprestou um terno para que a advogada pudesse continuar a sustentação oral.

Por nota, a comissões da Mulher Advogada (CMA), Especial de Valorização da Mulher (CEVM) e Especial da Voluntária Advogada (Ceva) da seccional goiana da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-GO) repudiou a atitude do desembargador. “Salientamos que o repúdio se estende ao tom autoritário proferido pelo magistrado, sobretudo diante de uma jovem advogada mulher, visto que os tribunais de Justiça também não são ambiente para comportamentos antidemocráticos como os do referido desembargador”, diz o texto.

Também por nota, o TRT informou que lamentou o ocorrido e classificou o incidente como isolado “acreditando na manutenção das boas relações mantidas com a nobre classe dos advogados ao longo dos seus quase 27 anos de existência, sempre pautadas pelo mútuo respeito às prerrogativas próprias do exercício das relevantes funções igualmente indispensáveis à administração da justiça”.

Karla Araujo, Do Mais Goiás
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *