pc

Operação da PC prende suspeitos de fraudar concurso para delegado substituto em Goiás

Cinco pessoas foram presas suspeitas de fraudar o concurso público para delegado substituto em Goiás, na tarde deste domingo (12). Quatro são candidatos que passaram na primeira fase do processo. Elas foram presas enquanto faziam a segunda fase da prova. Os candidatos pagavam de R$120 mil a R$ 395 mil por uma vaga. Os detidos foram levados para o Complexo de Delegacias Especializadas, no Setor Cidade Jardim. Dois estão na carceragem da Delegacia Estadual de Repressão a Narcóticos (Denarc) e dois na Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios.

Segundo a polícia, esses candidatos são de famílias ligadas à Justiça bastante conhecidas e influentes de Goiânia. Um dos suspeitos, que também está preso, aliciava os candidatos com a promessa de conseguir aprovação no concurso que teve 14 mil inscritos para 63 vagas.

Os nomes não foram divulgados para não atrapalhar as investigações. Um dos candidatos chegou a vender um carro e estava negociando uma casa para pagar a quadrilha. A suspeita é de que a organização criminosa tenha fraudado outros concursos do país.

Relembre o caso

O concurso n° 7/2016 para delegado de Polícia substituto está sendo investigado pelo Ministério Público de Goiás, após supostas irregularidades nas notas dos candidatos que realizaram a primeira fase. O concurso foi iniciado no segundo semestre de 2016 pela Secretaria de Estado de Gestão e Planejamento (Segplan).

A promotora de Justiça Leila Maria de Oliveira, que instaurou inquérito civil público, afirmou que foram levadas ao MP informações de que o resultado definitivo da primeira fase do concurso causou estranheza aos concorrentes devido à quantidade de notas superiores a 90 pontos, por se tratar de prova de grande dificuldade, em que cada questão errada acarretava a perda de 0,25 pontos em relação à nota final.

De acordo com o MP-GO, as reclamações em relação aos primeiros colocados também versam sobre o suposto envolvimento de um deles em crimes contra a administração, a proximidade de médias entre dois dos candidatos que são irmãos e figuram nos primeiros lugares, em um concurso de cerca de 14 mil participantes, entre outras circunstâncias.

A promotora terá uma reunião com o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), organizadora do evento. Ela também intimou um reclamante para coleta de informações.

Ex-vereador de Palmeiras e filho de procurador é preso por fraude em concurso de delegado em Goiás

Alta nota do candidato desencadeou operação contra fraude em certame

A alta nota obtida pelo ex-vereador de Palmeiras de Goiás, Magno Marra Mendes, na primeira fase para o concurso de delegado substituto de Goiás chamou a atenção dos demais participantes. Familiares do ex-vereador estiveram na delegacia, mas não quiseram falar com a reportagem do POPULAR.

Ele está detido na carceragem da Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios junto com o médico Antônio Carlos da Silva suspeito de aliciar os candidatos, segundo testemunhas.

De acordo com um dos participantes, este é o primeiro concurso prestado por Magno, que ficou nas primeira colocações, e obteve uma nota de 95 pontos. Em outros concursos, a média das notas não passa de 80 devido à dificuldade da prova. Magno, foi vereador entre 2009 e 2012 pelo PTB, é filho do procurador de Justiça Nilo Mendes Guimarães.

Magno é um dos cinco detidos suspeitos de fraudar o concurso público para delegado substituto em Goiás. Os envolvidos foram detidos ao final da segunda fase do processo na tarde deste domingo (12). Concurso teve 14 mil inscritos para 63 vagas..

Ex-assessor de Jovair e médico está entre os presos da fraude em concurso para delegado em Goiás

Antônio é suspeito de aliciar alguns dos candidatos do certame; as investigações começaram após denúncias no Ministério Público de candidatos que estranharam as altas pontuações dos primeiros colocados

Reprodução
Antônio Carlos e Jovair Arantes

O ex-assessor do deputado Jovair Arantes, o médico Antônio Carlos da Silva, está detido na carceragem da Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios, no Complexo das Delegacias Especializadas, no Setor Cidade Jardim, em Goiânia.

Segundo testemunhas, Antônio é suspeito de aliciar alguns candidatos que participam do concurso para delegado substituto em Goiás. O médico, o ex-vereador, Magno Marra Mendes, e outras três pessoas foram presas suspeitar de fraudar o certame. As prisões ocorreram após a segunda realizada na tarde desse domingo (12).

As investigações começaram após denúncias no Ministério Público de candidatos que estranharam as pontuações dos primeiros colocados, entre eles está à nota do ex-vereador e filho do procurador da Justiça, Nilo Mendes Guimarães, Magno obteve 95 pontos. Por se tratar de prova de grande dificuldade cada questão errada descontava 0,25 pontos da nota final.

Fonte: O Popular

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *