nao

Prefeitura de Goiânia lança campanha contra esmolas

Objetivo é alertar e conscientizar a população de que a prática contribui para que adultos e crianças permaneçam na situação de mendicância e gera efeitos como evasão escolar, prostituição, exploração e violência contra crianças e adolescentes

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), em parceria com o Ministério Público do Trabalho em Goiás (MPT-GO),  realiza a campanha ‘Promova cidadania, não dê esmola’. O objetivo é alertar e conscientizar a população de que a prática contribui para que adultos e crianças permaneçam na situação de mendicância e  gera efeitos como evasão escolar, prostituição, exploração e violência contra crianças e adolescentes.

Além da utilização de alguns veículos de comunicação, como site e mídias sociais da Prefeitura de Goiânia e panfletagem em locais de grande fluxo de pessoas, como terminais de ônibus e nos mutirões, a Semas ampliou a atuação das equipes de abordagem social nas ruas da cidade.

A diretora do Departamento de Proteção Social da Semas, Helizângela Alves do Nascimento, ressalta que a campanha será permanente. ‘Além dos adultos pedindo dinheiro nas ruas, outra preocupação nossa é com as crianças. ‘Quando damos esmolas ou compramos produtos de menores nos sinaleiros, acabamos incentivando a permanência deles nas ruas e no trabalho infantil ‘, explica. ‘Na rua, os menores ficam expostos à situação de risco e sofrem constantemente violência física, sexual e moral’, alerta.

De acordo com o gerente do Centro Pop de Goiânia, Wellington Carlos Pereira, o monitoramento feito pela Semas revelou que uma única família chega a colocar até 10 crianças para trabalhar vendendo doces ou pedindo esmolas nas ruas. ‘Já fizemos um trabalho de conscientização junto à essa família, mas a situação permanece, justamente porque as pessoas, apesar da boa intenção, contribuem para isso’, explica.

A campanha ‘Promova Cidadania, não dê esmolas’ orienta a população que deseja ajudar pessoas em situação de rua a ligar para o Serviço Especializado em Abordagem Social (Seas), pelo telefone 3524-7389, assim que se deparar com alguma situação de mendicância. O Seas faz o encaminhamento dos pedintes que desejam receber ajuda aos programas socioassistenciais e serviços de acolhimento institucionais disponíveis no município, como Centro Pop, Casa de Acolhida Cidadã e Complexo 24 horas.

Valéria Almeida, da Diretoria de Jornalismo

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *