ac42

Secretário de Segurança determina realização de estudos técnicos para readequação da AC4

m reunião com o Comitê das Entidades Representativas da Segurança Pública na tarde de hoje, o secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária, Ricardo Balestreri, anunciou que a pasta fará estudos técnicos sobre o pedido feito pelos representantes dos servidores para readequação nos valores das horas extras (AC4). Os sindicalistas apresentaram ao secretário um estudo propondo a atualização dos valores dos atuais 16 e 18 reais, respectivamente, para a hora extra diurna e noturna, para 30 e 40 reais. Balestreri considerou justa a reivindicação dos representantes dos policiais e disse que espera ter o resultado dos estudos em um prazo de 20 dias.

A reunião aconteceu no final da tarde, no gabinete do secretário. Ele recebeu um ofício assinado pelos presidentes de todas as entidades que compõem o comitê e enalteceu a capacidade de união do grupo, mesmo representando categorias diversas na estrutura da segurança pública em Goiás. O presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Goiás (Sinpol-GO), Paulo Sérgio Alves Araújo, argumentou que os valores da AC4 vêm sendo pagos há vários anos sem nenhum reajuste. “É preciso resolver essa questão para que o sobretrabalho do policial seja remunerado com um pouco mais de justiça”, argumentou Paulo Sérgio.

O presidente do Sinpol ponderou, no entanto, que mesmo defendendo a readequação do valor da AC4, não se pode perder de vista que o fundamental é que o trabalhador seja valorizado, com a reestruturação da carreira do policial civil. “Isso é importante para que o sobretrabalho não seja buscado como um complemento na remuneração e sim como parte do trabalho policial, quando houver necessidade. “Queremos uma carreira melhor para que o policial não tenha de buscar alternativas em que, se houver excesso, pode comprometer sua saúde”, justificou Paulo Sérgio.

Por fim, ele destacou que as entidades representativas continuarão na luta, tanto pelo reajuste da hora extra para os profissionais como para a reestruturação da carreira. A propósito, hoje também houve reunião da Câmara Técnica criada pela SSP depois de reunião com os diretores do Sinpol, destinada a discutir a reestruturação da carreira dos policiais civis. “Estamos discutindo a melhor forma de fazer isso e também a mais viável”, explicou Paulo Sérgio. “Vamos continuar lutando ela valorização, para preservar nossos direitos, garantir outros e conquistar uma carreira melhor para o policial civil”, asseverou.

Humano
O secretário Ricardo Balestreri observou que a Secretaria não pode trabalhar isoladamente e que precisa ouvir seus profissionais. “Não é possível que uma pasta tão importante trabalhe sem investir no capital humano”, afirmou, creditando os índices de queda nos indicadores de criminalidade, apurados pela SSP, ao “trabalho apaixonado dos policiais, que são abnegados e trabalham em prol da sociedade”. Balestreri reconheceu que a SSP corre o risco de perder profissionais para o mercado, caso não invista em seu capital humano. “Vamos buscar o melhor meio para buscar o reajuste da AC4”, garantiu o secretário.

Integram o Comitê, além do Sinpol, as seguintes entidades: ACS PM/BM; Assof PM/BM; Adpego; Sindepol; Aspec/Sindperícias; Aspego; Sinsep; Assego PMBM; Ugopoci.

Fonte: SINPOL

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *